Gerir um Condomínio, requer algum conhecimento, conhecimento esse que não é passado de administração para administração. Normalmente, são apenas dados à nova administração alguns documentos, como a demonstração de resultados, mas não é dito como são elaborados. Também é recorrente estes documentos conterem erros, erros que tornam a tarefa do administrador seguinte complicada quando chega a hora de fazer os mesmos documentos para passar a próxima administração.

A FM DIAMOND através da MODISGOMIX disponibiliza um serviço profissional de Administração de Condomínios que assume a tarefa de fazer cumprir as funções do Administrador de Condomínio em conformidade com o  Artigo nº 1436 do código Civil Português. Libertando assim os condóminos dos contratempos e vicissitudes no desempenho desta função.

FUNÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO

Notificar os participantes antecipadamente, comunicar-lhes a agenda, estabelecer objectivos. Durante a reunião assumir papel condutor, verificando em cada assunto se o objectivo está atingido. Tomar notas para que possa fazer a acta.  

O Orçamento consiste, essencialmente, em estimar para o próximo ano o valor das quotas, o total de despesa prevista, tendo em consideração o resultado corrente, custo da manutenção da propriedade comum, inflação e cálculo do valor das quotas.

 Auxiliar na escolha de seguro colectivo ou individual dos Condóminos exigindo a estes os comprovativos dos seguros de cada fracção, juntamente com a descrição das respectivas coberturas, sendo aconselhável fazê-lo todos os anos. Sobre este tema o artigo nº5 do Decreto-Lei n.º 268/94 estipula que o montante do seguro tem de ser actualizado todos os anos e como deve ser estipulado o valor da actualização. O artigo nº 1429 – Seguro obrigatório dá poderes ao Administrador para efectuar o seguro, caso os Condóminos não o façam no prazo estipulado pela Assembleia e cobrar-lhes a respectiva parte. O seguro anti-sismo irá ser em breve obrigatório.

Todas as tarefas relativas à Cobrança de Quotas e pagamento das despesas comuns dos condomínios.

Com transparência e clareza solicitar aos Condóminos a sua quota-parte nas despesas aprovadas. Fazer prova do valor apurado para esse efeito.

Calcular e distribuir os vários custos de manutenção ao longo dos anos, evitando que  os condóminos tenham de reunir uma soma avultada num curto espaço de tempo, como acontece muitas vezes em obras de manutenção, como a pintura do prédio. O artigo nº 4 do Decreto-Lei n.º 268/94 e todo o decreto lei Decreto-Lei n.º 269/94 estipulam regras para a constituição de fundos para a execução das obras de manutenção.

Inventariar, monitorizar e propor regulamentos de uso das coisas comuns e de prestação de serviços de interesse comum.

Formalizar, executar e operacionalizar as deliberações da Assembleia de Condóminos.

Ser facilitador de contacto entre Condóminos e as autoridades Administrativas. 

Apresentação do Fecho de Contas e Balancete ao abrigo de rigoroso controlo contabilístico de forma clara e transparente. 

Em conformidade com o Artigo nº 1436 do Decreto-Lei n.º 268/94, Decreto-Lei n.º 269/94 e demais legislação conexa.

No estrito cumprimento dos Artigos do  Decreto-Lei n.º 268/9: Artigo 1.º Deliberações da Assembleia de Condóminos,  Artigo 2.º Documentos e notificações relativos ao condomínio,  Artigo 3. º Informação Artigo 9.º Dever de Informação a terceiros.

Artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 268/9 determina incube o Administrador de publicar as regras de segurança.

Contacte-nos Agora
Form_Imobiliario
(*) CAMPOS DE PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO. Os dados desta mensagem apenas serão mantidos durante o período de tratamento da sua questão e prestação do serviço associado.

Comente Este Artigo