Com uma ornamentação exuberante, o Mosteiro dos Jerónimos, classificado como Património Cultural de toda a Humanidade em 1983 pela UNESCO, é uma referência à arquitectura manuelina. Foi mandado construir em 1946 por D. Manuel I como forma da sua enorme devoção a Nossa Senhora e crença em S. Jerónimo e para perpetuar a memória do Infante D. Henrique.

Também conhecido por Mosteiro de Sta. Maria de Belém, está junto ao rio Tejo na zona de Belém, e acolhe as sepulturas de heróis e poetas, como Vasco da Gama e Luís Vaz de Camões.

O Mosteiro dos Jerónimos foi um dos monumentos mais visitados em 2017, com mais de um milhão de visitantes.

A sua porta sul, é um dos tesouros artísticos mais bonito para ver, obra de 1516-1518 do arquitecto João de Castilho, carrega a figura central de Nossa Senhora de Belém com o Menino e é considerada a obra mais rica da arquitectura portuguesa do gótico tardio.

Na porta principal pode ver, de cada lado do portal, as estátuas orantes dos reis fundadores, do lado esquerdo D. Manuel I e atrás de pé São Jerónimo, do lado direito a rainha D. Maria, sua segunda mulher, e São João Baptista.

A Capela-mor contrasta com o corpo manuelino da Igreja, com o seu estilo maneirista, aqui se encontram sobre os elefantes de mármore, os túmulos de D. Manuel I e de D. Maria à esquerda, e à direita de D. João III e de D. Catarina. Ao fundo, por cima do altar-mor, existe um retábulo com pinturas representando cenas da Paixão de Cristo e a Adoração dos Magos da autoria do pintor Lourenço de Salzedo.

A Igreja do Mosteiro apresenta-se em planta como uma cruz, composta por três naves à mesma altura e reunidas por uma única abóbada suportada em seis pilares de base circular. É aqui que se encontram os túmulos de Vasco da Gama e de Luís de Camões, ambos do escultor Costa Mota do século XIX.

Na ala ocidental do mosteiro pode visitar o Museu Nacional de Arqueologia, onde se encontram as coleções iniciais do seu Fundador o Doutor José Leite de Vasconcelos e de Estácio da Veiga, bem como outras, por exemplo, colecções de arqueologia da antiga Casa Real Portuguesa, do antigo Museu de Belas Artes, como outras com valor nacional de bens arqueológicos descobertos no país.

E na ala oeste do mosteiro, aproveite também para visitar o Museu da Marinha onde pode conhecer o passado marítimo português através da exposição permanente de seis mil peças museológicas; da exposição de modelos de Galés, embarcações fluviais e costeiras e navios desde os Descobrimentos até ao Século XIX; da coleção de armas e fardamentos; de instrumentos de navegação e de cartas marítimas e ainda de um arquivo de obras e imagens referentes à vida marítima.

Contacte-nos Agora

Form_Turismo
(*) CAMPOS DE PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO. Os dados desta mensagem apenas serão mantidos durante o período de tratamento da sua questão e prestação do serviço associado.

Comente Este Artigo